Certificação de Viaturas de Interesse Histórico

A Fundação Abel e João de Lacerda, através do Museu do Caramulo e pela Portaria 1101/94, está reconhecida oficialmente como entidade oficial de Certificação de Viaturas de Interesse Histórico.

De acordo com o Despacho 10298/2001, e com a actualização legislativa ocorrida a 29 de Novembro 2017, através do Decreto-lei 144/2017, as viaturas Certificadas como Veículo de Interesse Histórico com mais de 30 anos, desde a data do seu fabrico, ficam isentas de Inspecção Periódica Obrigatória, a partir de 1 de Janeiro de 2018, de acordo com a seguinte tabela:

  •   Até 1918 – 10 anos
  •   De 1919 a 1945 – 8 anos
  •   De 1946 a 1959 – 6 anos
  •   De 1960 – 6 anos
  •   De 1961 a 1988 – 4 anos

Embora não isentas de Inspecção Periódica Obrigatória podem ser consideradas de Interesse Histórico as viaturas da seguinte tabela:

  • Futuros Clássicos – 2 anos

O Certificado entregue atesta a qualidade como Viatura Histórica e permite o reconhecimento da mesma como Clássico em caso de conflito, nomeadamente junto das seguradoras.

Marcações

Os pedidos de informação / Certificação poderão ser efectuados junto da Direcção do Clube FIAT de Portugal, se é associado do Clube. Todos os pedidos devem conter as seguintes informações:

  •  Local pretendido
  •  Data pretendida
  •  Marca
  •  Modelo
  •  Ano
  •  Matrícula
  •  E-mail
  •  Telefone
  •  Fotografias com boa qualidade (em formato JPG, JPEG, GIF ou TIF) da frente, lado, traseira, tablier, bancos da frente e trás (sem capas), interior da bagageira (vazia), compartimento do motor; 3⁄4 de frente com matrícula visível;
  • Cópia dos documentos do veículo incluindo última Inspecção.

 

 

Custos de certificação

  •  Clássicos Sob consulta ao Clube FIAT de Portugal
  •  Futuros Clássicos Sob consulta ao Clube FIAT de Portugal
  • Placa de certificação para tablier (opcional) €17,00 (portes de correio incluídos)

Pontos a verificar nas Certificações:

 

  • Carroçaria – Não deverá ter alterações. Deverá estar bem cuidada, sem pontos de ferrugem nem amolgadelas. A pintura, os cromados, as borrachas e os vidros deverão estar em bom estado, sem riscos e de cor uniforme.
  • Capota – Nos veículos transformáveis, as capotas deverão estar perfeitamente funcionais e sem apresentar rasgões ou qualquer outro tipo de deterioração.
  • Estofos – Os estofos e interiores forrados, deverão estar em bom estado de conservação, sem rasgões e de materiais de acordo com o modelo. Instrumentos – Os instrumentos deverão ser originais, em bom estado de funcionamento e de conservação (limpeza interior).
  • Limpa Vidros – Todo o sistema deverá estar em perfeito estado de funcionamento e as escovas com capacidade de remoção da água do vidro.
  • Iluminação – Os faróis e farolins deverão ser da época do veículo, de marca adequada, em perfeito estado de funcionamento e iguais entre si quando em pares. No caso dos veículos mais antigos, poderão ser montados “piscas” suplementares, desde que não danificando a estrutura do veiculo.
  • Chassis – O chassis deverá apresentar-se limpo e estar bem conservado.
    Suspensão – O sistema de suspensão deverá funcionar correctamente e ser original.
  • Rodados – As jantes deverão estar em boas condições, com os respectivos tampões, quando for o caso, os pneus deverão ser de acordo com a medida dos documentos e deverão ser iguais entre si, em termos de medida e marca.
  • Direcção – O volante deverá ser o original ou extra de época e não poderão existir folgas.
    Travões – Os travões deverão estar em perfeito estado de funcionamento e eficiência.
  • Motor – O motor deverá estar em boas condições, limpo, sem fugas de óleo, sem ruídos excessivos e sem emissões de fumo exageradas. Sistema de Combustível – O sistema de combustível deverá ser o original.
  • Transmissão – A transmissão deverá apresentar-se limpa, lubrificada e bem conservada.
  • Sistema Eléctrico – O sistema eléctrico deverá ser o original.
  • Diversos – Todos os extras inseridos na viatura, como sejam rádios, faróis suplementares, antenas, etc., deverão ser de época e preferencialmente fazerem parte do catálogo da marca.

Em caso de dúvida sobre as condições do Veículo a certificar, poderão ser solicitados elementos adicionais que esclareçam as dúvidas.